Artigos . A “virose” deste verão

Virose

Dr. Francisco Soares Netto
crm 14.721
Pediatra Gran Clinic

“Meu filho está com diarréia, que começou hoje. Ontem ele estava bem e passou a apresentar ânsia de vômitos. Chegou a vomitar algumas vezes e está muito molinho.

Meu marido também está assim, e a babá está começando a ficar igual”

Neste verão muitas pessoas que foram para o litoral, ou até mesmo para cidades do interior (Olímpia, por exemplo) foram acometidos com quadro gastrintestinal, semelhante ao do inicio do artigo e que apresenta o seguinte quadro clínico:-

Os sintomas aparecem muito rapidamente.

Geralmente, começa com náuseas, em episódios isolados, com ou sem vômitos. Até então o estado geral não está afetado. As crianças normalmente são as mais atingidas.

Poderá haver uma intensificação deste quadro surgindo:- dor abdominal com intensidade variável; diarréia; prostração progressiva e conseqüentemente desidratação.

Fato interessante que neste momento outras pessoas do convívio, sadias, podem iniciar o mesmo quadro, pois outra característica desta doença é o tempo curto (em geral 48 horas) entre o inicio dos sintomas à desidratação e a transmissão para outras pessoas, o que é pouco comum em outras doenças virais.

Este fato levou o Instituto Adolfo Lutz analisar as amostras dos casos ocorridos nos surtos entre dezembro de 2009 e janeiro de 2010, e com isto detectou que o agente causador é o norovírus.

“Pensei que fosse Rotavirus! Afinal é sempre dele que se fala.Qual a importância disto?”

Primeiro. O CVE (Centro de Vigilância Epidemiológica) do Estado de São Paulo aponta que esta virose é transmitida por alimentos contaminados, normalmente via fecal-oral, estando incluída no seu Manual das Doenças Transmitidas por Alimentos.

Segundo. A prevenção é primordial, pois não há vacinas e todos podem ser contaminados. Oriente seus filhos e auxiliares no que segue

Terceiro. É indispensável a higiene tanto das mãos  como dos alimentos.

virose

Aqui vale a pena ressaltar que as mãos devem ser lavadas antes e depois de manipular os alimentos, bem como antes e depois da higienizarem as crianças..

Não esquecer  que corrimãos e maçanetas podem ser fonte desta infecção ( e de outras) .

É imprescindível lavar os alimentos em água corrente.

Ainda em relação aos alimentos é sempre prudente ingerir alimentos de origem conhecida, tendo muito cuidado com os salgadinhos, pastéis e lanchinhos de quiosques, rodelas de limão, gelo e sorvetes de procedência duvidosa.

Quarto. Finalmente , caso seus recursos preventivos falharam , é importante lembrar

  • Não auto medicar-se
  • O quanto antes você procurar um recurso médico, maiores chances você terá de recuperar sua saúde.
  • Esta é uma área onde a Homeopatia também poderá ajudá-lo neste intuito.
  • A hidratação é de fundamental importância, desde o início do processo.