Artigos . Obesidade

Obesidade

A obesidade é, basicamente, o excesso de gordura corporal. Esse problema atinge 18 milhões de pessoas no Brasil, mas 70 milhões estão acima do peso. Mais do que um fator estético, a obesidade pode causar mais de 70 doenças, sendo elas de todas as áreas médicas possíveis.

Esse excesso de gordura corporal pode ser causado por diversos motivos, ou até um conjunto deles: alimentação inadequada, sedentarismo, problemas hormonais e herança genética entre outros. Para tratar a obesidade e evitar problemas de saúde posteriores, o indivíduo deve buscar ajuda profissional adequada que pode incluir desde educadores físicos, nutricionistas, endocrinologistas, psicólogos, psiquiatras até um cirurgião do aparelho digestivo.

O tratamento cirúrgico deve ser recorrido após uma criteriosa avaliação, em que o indivíduo, mesmo com orientações de profissionais, não consiga perder a gordura corpórea e sua saúde esteja gravemente sendo afetada.

Para a avaliação do estado nutricional do individuo utiliza-se o IMC (índice de massa corporal) realizando o seguinte cálculo: peso (kg) / altura x altura (m). A cirurgia está indicada caso o paciente possua o IMC (índice de massa corporal) igual ou acima de 35 kg/m2 e possua problemas de saúdes causadas pelo sobrepeso, ou para pacientes com IMC acima de 40 kg/m2, mesmo sem problemas de saúde.

Existem diferentes tipos de cirurgias para tratamento da obesidade: as cirurgias restritivas, em que é feita uma redução do tamanho do estômago, o que restringirá a quantidade de alimento que o indivíduo consome; as desabsortivas na qual parte do transito intestinal é desviado, ficando mais curto e fazendo com que a absorção dos nutrientes seja muito menor e as cirurgias mistas.

O tratamento cirúrgico da obesidade foi realizado por muitos anos através da cirurgia aberta, também conhecida como convencional na qual é realizado um corte único e extenso no abdome. Porém a cirurgia minimante invasiva vem substituindo a cirurgia convencional por trazer uma recuperação mais rápida, por ser menos dolorosa e também pelo seu resultado estético uma vez que são realizados apenas pequenos cortes. A cirurgia minimante invasiva é realizada através da laparoscopia e, nos últimos anos, também tem sido realizada através da cirurgia robótica.